quinta-feira, 16 de julho de 2009

Áspero amor

Áspero amor, violeta coroada de espinhos,cipoal entre tantas paixões eriçado,lança das dores, corola da cólera,por que caminhos e como te dirigiste a minha alma?Por que precipitaste teu fogo doloroso,de repente, entre as folhas frias de meu caminho?Quem te ensinou os passos que até mim te levaram?Que flor, que pedra, que fumaça, mostraram minha morada?O certo é que tremeu a noite pavorosa,a aurora encheu as taças com seu vinhoe o sol estabeleceu sua presença celeste,enquanto o cruel amor sem trégua me cercava,até que lacerando-me com espadas e espinhosabriu no coração um caminho queimante. Pablo Neruda

5 comentários:

  1. Blog de cara nova, hem?! Tá muito bonito, parabéns, adorei! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Cara nova e bela! Muito bom. Logo que entrei pensei que era outro gordo, mas não, tuas lindas postagens estão aí.

    bjos
    berenice

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo, obrigado pela visita ao Livro, seja muito bem vindo, sinta se em casa, forte abraço e uma otima semana pra ti.

    www.olivrodosdiasdois.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Neruda! Um dos melhores!!
    Muito boa escolha mano, e a imagem ficou bem legal!
    T+!

    ResponderExcluir
  5. Um otimo dia pra ti amigo, forte abraço.

    www.olivrodosdiasdois.blogspot.com

    ResponderExcluir